Imagem
Cartaz do Seminário
Estão abertas as inscrições para o 1º Seminário Treino de Futebol - Pombal 2013.
A necessidade de aperfeiçoar constantemente as metodologias desportivas, e a do futebol em particular, só pode satisfazer-se articulando a reflexão consolidada de técnicos e praticantes experientes com as questões, perplexidades ou incertezas colocadas por auditórios críticos e interessados. Estes, provenientes de diversos horizontes e tipos de de ligação ao desporto-rei, sempre acorrem quando se trata de aprofundar a relação, teórica e prática, com o futebol. Constituindo um vasto mundo de praticantes, especialistas, amadores ou simples curiosos, o futebol tem sempre de tê-los em elevada estima, pois são a sua primeira comunidade de recepção e exigência profissionalizante.
Com o objectivo de fornecer mais um espaço de reunião, diálogo, emulação e aprofundamento de experiências a esta comunidade, o Seminário Treino de Futebol Pombal 2013 pretende desde já posicionar-se como referência de qualidade no âmbito da formação desportiva, técnica e cultural do futebol na Região Centro, para isso convocando todos os interessados a nele participarem e sentirem desde já integrados.

Consulte toda a informação acerca do Seminário aqui

 
 
 Imagem
O Sp.Pombal entrou com o pé esquerdo na fase final da 3.ª Divisão. A formação de Nuno Pereira acabou vergada a uma derrota no minuto 90, diante do Vitória de Sernache. Um enorme balde de água fria para os leões do Arunca, que ambicionavam conquistar os três pontos para ficar mais perto dos dois primeiros lugares.
Foi um jogo com poucas oportunidades de perigo, muito disputado a meio-campo. Na segunda parte a qualidade de jogo melhorou um pouco e assistiu-se a um encontro mais interessante e dinâmico.
O encontro começou com ambas as equipas na expetativa e sem arriscarem. O Sp.Pombal entrou mais dominador, mas sem conseguir criar situações de perigo. O Sernache reagiu, passou a dominar mais o jogo a meio-campo, mas também não incomodava o guarda-redes Nélson.
Foram os 45 minutos, sem qualquer ponta de interesse e sem uma única oportunidade soberana de golo para nenhuma das equipas.
Ao intervalo o técnico Miguel Lima Pereira mexeu na equipa, fazendo entrar o argentino Ernesto Sanchez para a saída do apagado Abel Tchocomar. Esta alteração não trouxe nada de novo ao Sernache, dado que Wilson conseguiu sempre controlar as investidas do jogador do clube de Castelo Branco.
Após um período inicial de equilíbrio, o Sp.Pombal começou a ganhar os duelos a meio-campo e Pedro Emanuel está perto do golo, mas na sequência de um cruzamento, rematou fraco e denunciado perante Paulo Salgado. Reagiu o Sernache e, numa rápida jogada de contra-ataque, valeu uma rápida sáida de Nélson para evitar males maiores para os comandados de Nuno Pereira.
Os dez minutos seguintes foram de claro domínio dos visitantes, com Pedro Emanuel em duas situações e Cepeda a estarem muito perto de marcar.
Nuno Pereira lançou Jocy para o ataque, no sentido de dar ainda mais acutilância ao ataque, mas o que é certo é que os Leões do Arunca baixaram de produção a estratégia não surtiu efeito.
Miguel Lima Pereira lançou duas unidades para refrescar o meio-campo, Messias e Nairy, que vieram dar mais solidez ao conjunto do distrito de Castelo Branco.
O jogo voltou ao equilíbrio de antigamente, mas no minuto 90, o Sernache viria a obter o golo da vitória por intermédio de Sanhá.
No último minuto de descontos enorme sururu na área do Sernache com o Sp.Pombal a pedir uma grande penalidade sobre Pedro Emanuel. O árbitro mal colocado nada assinalou, em melhor posição o árbitro auxiliar também nada marcou. Protestos dos Leões do Arunca que motivaram a expulsão de Wilson e do guarda-redes suplente Ângelo.
No final, satisfação do Sernache pela vitória que relança a equipa de Miguel Lima Pereira na luta pela subida, já o Sp.Pombal havia uma enorme onde de frustação, mas também alguma revolta em relacção à arbitragem.
O trabalho de António Resende foi contestado pelo Sp.Pombal. Ficaram dúvidas em três lances, dois na área do Sernache e um na do Sp.Pombal. Nos três nada assinalou. Uma arbitragem que deixou a desejar por parte do jovem árbitro aveirense.

Campo Nuno Álvares Pereira, em Sernache do Bomjardim
Árbitro: António Resende (AF.Aveiro)
Assistência: Cerca de 100 pessoas


Sernache
Paulo Salgado; Casal, Hugo, Nita e Miguel Serôdio; Tiago Farinha (Messias, 73’), João Gonçalves, Guilherme (Nairy, 85′)); Santolini, Sanhá e Abel Tchocomar (Ernesto Sanchez, 45’)
Treinador: Miguel Lima Pereira

Sp.Pombal
Nélson; Lagoa, Rúben, Sousa e Wilson (Micas, 86’); Miguel Xavier, Cepeda   (Mauro, 90’), Rica, André Costa; João Pinto (Jocy, 64’) e Pedro Emanuel.
Treinador: Nuno Pereira

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Sanhá (90′)


 
 
 Imagem
O Caldas terminou a primeira fase docampeonato na liderança com 43  pontos.
A formação caldense parte agora para a segunda fase na liderança e com a ambição de subir de divisão, objetivo assumido desde o início  da época.
O Sp.Pombal terminou na quarta posição, a sete pontos da liderança. Os  Leões do Arunca estiveram durante várias jornadas na liderança, mas  perderam fulgor nas últimas, tendo perdido 17 pontos nas ultimas oito jornadas.
jornadas. Apesar de tudo,  continua tudo em aberto e a subida de divisão continua a ser um objetivo.
Para além dos dois primeiros lugares de cada série,  sobem os cinco melhores terceiros lugares de todas as séries.
Caldas e Sp.Pombal tem fortes possibilidades de conseguirem manter-se
nos nacionais.
 
Marinhense, Beneditense, Alcobaça e Peniche descem aos
distritais.

O Marinhense, Beneditense, Alcobaça e Peniche vão disputar uma fase  em que o único interesse reside no apuramento dos dois primeiros de cada série para a Taça de Portugal na próxima época. O Marinhense vai  regressar aos distritais 45 anos depois. Alcobaça e Beneditense  regressam à Divisão de Honra da AF.Leiria três épocas depois.
O Peniche obteve a penúltima posição na Série E da 3.ª Divisão. Sempre  na cauda da tabela, a formação penichense vê-se relegada para os  distritais. Na última época em que militou na Divisão de Honra da AF.Leiria, o Peniche sob o comando de Alberto Bastos Lopes conquistou o campeonato e a Taça Distrital.
Para o ano a Divisão de Honra vai contar com a participação de  alguns  dos históricos do distrito e que sempre militaram nos nacionais


 
 
 Imagem
 Terminou a primeira fase da 3.ªDivisão-Série D e, na última jornada, o Parque de Jogos Fonte da Senhora, na Benedita, recebeu um derby entre  Beneditense e Sp.Pombal.
A vitória sorriu aos comandados de Vítor Alexandre, que apesar da vitória, já tinham há algum tempo o destino traçado que passa pela  descida aos distritais da AF.Leiria na próxima época.
Três épocas depois, o Beneditense volta a competir na Divisão de Honra. O Sp.Pombal terminou esta fase na quarta posição e espera na fase final,  conseguir uma classificação num dos dois primeiros lugares, para desta  forma subir à 2ªDivisão Nacional e manter-se nos campeonatos nacionais.  Os Leões do Arunca já não ganham há várias jornadas.
Em relação à partida, o jogo teve duas partes distintas, com o Sp.Pombal a dominar inteiramente os primeiros 45 minutos, mas a quebrar bastante  no segundo tempo, facto que foi bem aproveitado pelos locais para  vencerem a partida.
O Sp.Pombal foi superior nos primeiros 45 minutos, perante um  Beneditense que efetuou o primeiro remate à baliza de Ângelo há meia  hora de jogo. Esta
situação demonstra bem a diferença entre as duas  equipas na primeira parte do encontro.
O golo dos visitantes chegou ao minuto 21, com André Costa a encostar para o fundo das redes, após um cruzamento da direita.
Na segunda parte, o Sp.Pombal baixou de produção e o Beneditense não  deixou os seus créditos por mãos alheias. O Beneditense foi acreditando  que poderia construir um resultado positivo, algo que viria a acontecer  na parte final da partida.
Aos 76 minutos, o Beneditense chegou ao empate por Caracol, após um grande trabalho de Ivonilson, que após ultrapassar dois defesas do  Sp.Pombal,
ofereceu o golo ao jovem jogador da Benedita.
O golo da vitória do Beneditense foi apontado a minuto do final da  partida por intermédio de Calado. Pimenta proporciona uma grande defesa a Ângelo e na recarga o avançado do Beneditense a não perdoar.

 Parque de Jogos da Fonte da Senhora, na Benedita
Árbitro: João
Calado (AF.Coimbra)


 Beneditense
Diogo Soares, Diogo Gomes, Bruno Oliveira, Élio e Danny; Dimas
(Leandro, 10′) e Batuto; Gonzaga (Miguel Sarrazina, 67′), Pimenta e Caracol; Ivonilson (Calado, 85′)
Treinador: Vítor Alexandre


Sp.Pombal
Ângelo; Lagoa, Rúben, Sousa e Wilson (Mauro, 90′); João Pinto (Jocy,  77′), Cepeda, Miguel Xavier e André Costa; Jardel(Rica, 65′) e Pedro Emanuel
Treinador: Nuno Pereira

 Ao intervalo:0-1
Marcadores: André Costa (21′), Caracol (76′) e Calado (89′) 

Acção disciplinar:Amarelos  Diogo Gomes (23′), Pedro Emanuel (45+3′),
Gonzaga (64′), André Costa (82′), Cepeda (82′),  Leandro (83′) e Rúben
(87′)


.

 
 
 Imagem
O Oliveira do Hospital e Sp.Pombal têm andado quase a par na  classificação
da Série D do Nacional da III Divisão, pelo que não é de  espantar que o jogo de domingo, tenha ficado marcado pelo equilíbrio.  Não se pode dizer que uma equipa seja melhor do que a outra e o empate  acaba, assim, por assentar bem ao que se passou em campo, apesar de os  homens da casa terem criado mais ocasiões de golo, sobretudo na recta  final, quando o guardião Ângelo lhes negou o
triunfo.
No final, valeram os golos de Nilson e Rica, obtidos ainda na primeira  parte. O extremo angolano foi mais rápido e eficaz na recarga a um penálti (cometido sobre Ruca), depois de Ângelo defender o remate de  Pedro André, e cabeceou para o fundo das redes; Rica empatou num lance  de insistência, nascido de um lançamento lateral, com um oliveirense a  cortar já para lá da linha fatal, no entender do assistente de Tiago  Gonçalves.
Já depois de terem perdido elementos por lesão (Turé e Rúben) ainda no  primeiro tempo, as duas equipas abordaram o resto do jogo com intenções  ofensivas, ainda que sem correrem riscos em demasia. O Pombal, que teve  em André Costa, Pedro Emanuel e Miguel Xavier os pilares do seu futebol, ameaçou por Serrão, mas os locais acabaram por cima. Fernando Pedro,  Guti e Nilson, este já em tempo de compensação, dispararam do meio da  rua, mas Ângelo brilhou. E a partida acabou empatada.
Quem beneficiou com este empate foi o Caldas que assumiu a liderança

 Oliv. Hospital 1
Treinador: Zé Pedro.
Rui Vale; Eduardo,
Seidou, Iano, Fernando Pedro, Daniel, Pedro André  (Mário Jorge, 79m), Guti, Nilson, Turé (Bruno Cardoso, 39m) e Ruca  (Jerome, 59m).
suplentes: Rafa, Anderson, Craveiro e Luís Pedro.



Sp. Pombal 1
Treinador: Nuno Pereira.
Ângelo, Lagoa, Paulito, Rúben (Cepeda, 41m), Wilson, Miguel Xavier,  Sousa, André Costa, Rica (Serrão, 68m), Jocy (João Pinto, 88m) e Pedro  Emanuel.
suplentes: Nélson, Jardel e Fábio.

 Campo de Santo António, em Nogueira do Cravo
Árbitro: Tiago Gonçalves
(Castelo Branco).
Ao intervalo: 1-1.
Golos: Nilson (17m) e Rica (37m).

Acção Disciplinar: cartão amarelo para Paulito (22m), Nilson (44m),  Seidou (62m), Cepeda (69m), Bruno Cardoso (85m) e Wilson (89m).


 
 
 Imagem
 Numa tarde chuvosa, o Penelense, com muitas limitações e cinco atletas  dos juniores no banco de suplentes, recebeu o primeiro classificado da  Série D, conseguindo um empate com o Sp. Pombal a chegar ao golo a cinco minutos do fim de grande penalidade.
Começou melhor o Sp. Pombal com maior posse de bola, contudo sem  conseguir importunar a baliza à guarda de Mauro. A equipa da casa respondia com contra-ataques rápidos e boas movimentações dos homens da frente, mas as ocasiões de golo escassearam durante o primeiro tempo  pelo que o nulo ao intervalo era esclarecedor do equilíbrio reinante.
A segunda metade iniciou- -se com um grande golo de Baba após cruzamento de Eric para a área. A equipa de Penela podia ter aumentado a vantagem  em duas ocasiões: num livre directo, aos 55 minutos, e num falhanço de  Filipe Pita quando se encontrava sozinho perante a oposição de Ângelo.
As oportunidades surgiam em catadupa para os comandados de Jorge Duarte. Samuel Garrido e Eric foram os jogadores do Penelense a contribuir para a injustiça que já se verificava no marcador, tantos foram os golos  falhados por parte da turma caseira.
Com o jogo a caminhar para o fim, o Penelense tinha o jogo controlado e  Sp. Pombal não conseguia encontrar maneira de empatar e segurar a  liderança no campeonato. Contudo, aos 85 minutos, acontecem os “casos” do jogo. Celestino, que estava a ser o melhor em campo, viu o cartão  vermelho por acumulação e o árbitro assinalou grande penalidade num  lance que gerou muita contestação dos jogadores e adeptos locais. Para  pior a situação, acrescentar que o árbitro assistente assinalou pontapé  de canto no lance da grande penalidade.Indiferente a tudo isto,
Pedro Emanuel fez o empate quando apenas  faltavam cinco minutos para o fim. A partir daí o jogo arrastou-se e até final apenas destaque para a estreia do
júnior David Hingá nos locais.  Os comandados de Jorge Duarte fizeram um grande
jogo, mas pecaram na  hora de visar as redes defendidas por Ângelo, enquanto o
Sp. Pombal terá que fazer muito melhor para manter a liderança na III
Divisão.
Arbitragem do trio que viajou de Lisboa com algumas decisões
duvidosas.

 
 
 Imagem
Luís Pedro Serrão é o novo reforço do Sp.Pombal. O Avançado, que pode  jogar no
centro do ataque e nas faixas laterais, já pode ser opção para o encontro de
amanhã, caso o técnico Nuno Pereira, assim o entenda.
O jogador já
representou o Marítimo B e o Pampilhosa na última época.  Esteve ainda na
Escócia, onde representou clubes dos escalões  secundários.
O Sp.Pombal
desloca-se,amanhã, ao reduto do Penelense, num jogo em que só a vitória
interessa aos Leões do Arunca.

 
 
 Imagem
O Sp. Pombal cumpriu a sua obrigação, recebendo o Torres Novas com um triunfo esclarecedor (3-0). Já ontem, o Sourense havia consumado o seu regresso às vitórias, indo às Caldas da Rainha vencer o emblema local por uma bola a zero.
Esta tarde, em Pombal, os ‘leões’ chegaram ao intervalo a ganhar por 1-0, graças a um tento obtido por Mauro, à passagem dos 40 minutos. A primeira parte deste encontro foi disputada sob o signo do equilíbrio, muito embora se notasse, nos primeiros minutos, algum atrevimento torrejano.
Porém, a experiência pombalense não permitiu grandes veleidades aos homens de Torres Novas que, na etapa complementar, pareceram baixar de rendimento, nomeadamente a partir dos 60 minutos. Se, inicialmente, se pensou tratar-se de quebra física, esta ideia acabaria por se acentuar, mais ainda, depois de Pedro Emanuel ter elevado para 2-0 (63’). Rica, acabado de ser lançado nas quatro linhas, fechou o resultado, aos 75 minutos, com a obtenção do terceiro golo da sua equipa.
O Sp.Pombal  está novamente na liderança, fruto da vitória sobre o  Torres Novas por 3-0. O Caldas perdeu em casa, diante do Sourense por  1-0. O Oliveira do Hospital empatou diante do Alcanenense a duas bolas.
O Sernache derrotou o Mortágua por 2-0, enquanto o Beneditense somou a  segunda vitória consecutiva ao derrotar o Marinhense por 3-2.Finalmente o Penelense derrotou o Alcobaça por 2-1.

 
 
 Imagem
Caldas, Sp.Pombal e Oliveira do Hospital lideram o campeonato, quando  estão
disputadas 17 jornadas. O Sp.Pombal empatou a zero bolas diante do Alcanenense,
enquanto o Oliveira do Hospital derrotou o Sernache por  3-2.  O Caldas empatou
a uma bola diante do Alcobaça. A grande surpresa  foi a derrota do Sourense
O Torres Novas venceu o Penelense por 3-0, enquanto o Marinhense derrotou o
Mortágua por 1-0

 
 
 Imagem
O Sp. Pombal cedeu, esta tarde, um empate a quatro golos, na recepção ao
Vitória de Sernache, em jogo que integrava a 16ª jornada da Série D  do Nacional
de Futebol da III Divisão.
Os pombalenses começaram a contenda do melhor modo já que, logo aos 3  minutos, Jardel inaugurou o marcador. Com um tento tão madrugador, os  adeptos da casa terão pensado que as coisas, afinal, se tornariam mais  fáceis do que, a princípio, se pensava.
Mas não. Confirmando tratar-se de uma belíssima formação, para mais  reforçada com a recente entrada de quatro novos jogadores e estreando um novo treinador (durante a semana,
Simões Gapo cedeu o seu lugar a  António Lima Pereira), o V. Sernache não baixou os braços e, pouco  depois, repôs a igualdade através de Nicha, aos 13
minutos.
Pareceu atordoado o Sp. Pombal com tão boa reacção visitante. E pior  ficou quando, aos 23 minutos, Sanhá marcou o segundo tento forasteiro.  As coisas, no entanto, recompuseram-se à passagem dos 31 minutos, com os locais a
chegarem a novo empate, graças à infeliz intervenção de um  defesa vitoriano,
que marcou na própria baliza. Mas, cinco minutos mais  tarde, de novo por Sanhá, a equipa de Cernache do Bonjardim regressou à  posição de vencedor. Ao intervalo, o marcador apresentava um 2-3 que até se aceitava.
Após o interregno, e quando se esperava uma maior ascendência local,  Sanhá resolveu, aos 50 minutos, colocar a sua equipa bem na frente do  marcador. A este ‘hat-trick’ do excelente avançado sertanense,  respondeu, e bem, o pombalense Jardel que não se ficou por menos e  conseguiu, também ele, um ‘hat-trick’, conseguindo mais dois tentos, aos 57 e 62 minutos.
Até final, a partida foi-se repartindo pelos dois meios campos, jogada  de forma entusiasmante, mas sem que o resultado sofresse mais  alterações. Aliás, em partida tão emocionante, que agradou bastante aos  espectadores que o presenciaram, o empate, embora por números pouco  normais – acaba por se aceitar.

 Estádio Municipal de Pombal
Árbitro: Sérgio Gomes
(AF.Lisboa)


 Sp.Pombal 4
Nélson, Lagoa, Rúben, Wilson e Micas (Paulo Santos, 80′);
Sousa, Miguel  Xavier, Cepeda (João Pinto, 55′), Rica (Jocy, 73′), André Costa e
Jardel
Treinador: Nuno Pereira
Sernache 4
Pepe, Samuel, Hugo, Gustavo, Nita, Messias, China ( Ricardo
André,84′), Abel (Tiago, 90′), Sanhá, Santolini e Sanchez
Treinador: António
Lima Pereira
Marcadores: Jardel (3′, 63′ e 71′), Nita (10′) Sanha (17′ e 41′, 49′) e Rica
(29′)